segunda-feira, 16 de maio de 2011

Otimismo e entusiasmo para emagrecer




E ai, como estão?
Apesar da subta vontade de sair comendo tudo que tem pela frente, estou indo bem...  =]
Penso que me falta entusiasmo sabe, não vejo os resultados de forma rápida, isso desanima sim!! mas estou firme no propósito!! 
Segue uma matéria legal sobre entusiasmo na luta contra a balança.. texto bem legal.

Para se ter sucesso no processo de emagrecimento é necessário otimismo e entusiasmo. Pensando bem, um não vive sem o outro, pois que para nos entusiasmarmos por algo, se faz necessário ter uma atitude otimista, acreditar que vai dar certo. Mas será que só isso é suficiente?
O entusiasmo é a força de ação, que rompe a barreira do comodismo, da inércia. A força do começo, de impulso, certo? Os Arianos sabem disso...pois todo começo tem a força de Áries. Mas, só isso não basta para que este entusiasmo perdure no tempo. O entusiasmo é como o fogo, queima rápido, mas logo se apaga se não for mantido aceso. E aí está o ponto mais difícil. Como manter o fogo queimando? Como encontrar essa motivação. Daí sempre associarmos o fogo à paixão e não ao amor, pois só este perdura.
Trazendo este raciocínio para o tratamento da obesidade, está neste ponto o grande nó de todas as tentativas que as pessoas fazem para emagrecer. Todas as pessoas gordinhas já se entusiasmaram, fizeram muitas “dietas” e voltaram a engordar tudo de novo. Por que?
Porque não conseguem manter o otimismo e o entusiasmo por muito tempo. Não conseguem ultrapassar as barreiras que vão aparecendo no caminho. Todos sabem que é necessário ter muita “força de vontade” para se conseguir o que se quer e para emagrecer não é diferente. Mas eu lhes digo, mais difícil do que emagrecer é se manter magro, e é claro que todo mundo já percebeu isso.
Já pararam para pensar que fazer força é “forçar” uma situação e que isto significa tensão e que naturalmente, tendemos ao “relaxamento”, a procura de uma zona de conforto? E que só precisamos forçar uma situação quando não conseguimos de outro modo conseguir nosso objetivo? Assim, a força de vontade está a serviço do entusiasmo e das forças de começo (do Fogo), mas não de manutenção. A força de vontade funciona bem por algum tempo, mas não para todo o tempo, que é o que precisamos para nos mantermos “magros” para sempre.
Pois é, voltamos novamente ao ponto de como manter o fogo queimando? Como manter o foco sem se perder dele? E olha quão interessante é a linguagem, pois o fogo queimando é o que precisamos para manter nosso metabolismo “aceso” para queimar calorias e emagrecer. E mais do que isso, para manter nossa alma desperta, pois para emagrecer é necessário estar em dia com a vida, estar “vivo”, ter prazer em viver. Então é necessário muito fogo, muita vitalidade, muito movimento. Precisamos estar apaixonados por nós mesmos (ou por alguém!), mas esta paixão precisa se transformar em amor “eterno”, para que não mais nos descuidemos de nós.
Se precisamos de vida para emagrecer é porque quando engordamos demais, deixamos a vida para lá, nos aproximamos mais do não viver. Nos escondemos de nós mesmos e do mundo, por debaixo de quilos e quilos de gordura. E deixamos que o comer passe a ser quase que o único elo com o prazer de viver. Seguindo este raciocínio, a pergunta que se faz é: Como que tal pessoa vai prescindir de comer se a comida é o que a mantém “viva”? A resposta é recuperando o prazer em viver.
De acordo com a minha experiência de 31 anos como psicóloga e psicoterapeuta, no cuidado de obesos, emagrecer não é só uma questão de fechar a boca, de reeducação alimentar ou de queimar calorias fazendo exercícios. Costumo dizer que esse é o emagrecimento que se dá de fora para dentro, muito necessário, mas não suficiente. Mais do que sabermosa razão do porque engordamos, e a resposta é muito simples: porque ingerimos mais calorias do que conseguimos queimar, se coloca um questionamento, a meu ver fundamental, que seria para que comemos tanto a ponto de ficarmos doentes (obesidade é uma doença), do coração, do fígado, dos joelhos,etc... e de perdermos o contato conosco mesmos e com a vida!!!
Saber que finalidade a gordura cumpre junto a cada obeso é o desafio maior do processo de emagrecimento, que chamo de emagrecer de dentro para fora. Só quando nos aproximamos das verdades mais íntimas de nós mesmos, que escondem o medo de ser, que nos daremos permissão para voltar a ter prazer em viver. Quem tem medo de ser não se gosta e quem não se gosta não se vê, não se cuida. Emagrecer é saber de si, é se auto-conhecer por dentro e por fora, para saber o que “lhe cai bem”, seja na forma de alimentos, roupas ou de reações emocionais. Enfim, é conseguir dizer sim e não e escolher seu próprio destino, é ter “jogo de cintura” (voltar a ter cintura), sair da rigidez e se adaptar melhor às propostas da vida, percebendo que nem tudo é do jeito que a gente quer.
Assim, precisamos de entusiasmos para começar a emagrecer, mas de muito amor por nós e pela vida, para nos mantermos magros!
Suely Najjar Murdocco 

Fonte: Teias 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...