sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Aprenda a comer salada

Vamos comer salada!!!
Tem muitos dias que não me alimento corretamente, sempre a salada é a primeira da fila na hora de parar...

"Siga essas dicas e veja como incluir mais verduras e legumes no seu prato
POR CAROLINA GONÇALVES
Fazer cara feia para a salada, além de prejudicar a sua saúde, impede você de provar um dos pratos mais completos e nutritivos que existem. Bem combinados, os ingredientes de um prato colorido podem até valer por refeição - desde que contenham, além de legumes e verduras, variações de proteínas - como frango desfiado ou atum em conserva.

"Quem não teve o hábito de comer salada na infância, geralmente, sofre para se acostumar a consumi-la na fase adulta", afirma a nutricionista Paula Castilho, da Sabor Integral Consultoria. Mas tem como reverter o cenário e se apaixonar por inventar combinações, testar receitas novas e encantar o paladar. A seguir um time de especialistas dá dicas para você passar a ter mais espaço para a salada no seu prato.
Faça combinações 
salada - foto Getty Images
Tem quem diga que as saladas não têm gosto. Contra isso, uma dica é combiná-la com alimentos que você gosta de comer: frango desfiado, atum, ovo, queijo branco, peito de peru e salmão, segundo a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional, são opções saudáveis e que inclusive deixam a salada mais completa.

Sementes como nozes, castanhas e sementes de gergelim são ricas em gorduras boas, que fortalecem a saúde cardiovascular e dão saciedade. Os grãos como ervilha, grão de bico e soja também podem fazer parte das saladas, pois são ricos em aminoácidos, carboidratos e fibras.

"Outra combinação interessante é acrescentar frutas naturais ou desidratadas à salada", explica Roseli. Abacate e maçã são possibilidades que agradam vários paladares.
Invista em temperos 
temperos - foto Getty Images
Há uma infinidade de temperos naturais que podem ser agregados à salada para deixá-la mais saborosa. A nutricionista Paula Castilho recomenda o uso de limão, cebola, alho ou especiarias para agregar o prato. "Quem quiser também pode colocar algumas torradas integrais em pedaços para acompanhar", diz.

A nutricionista Roseli Rossi aposta em molhos caseiros que podem combinar especiarias, azeite, vinagre balsâmico e iogurtes. "Isto enriquece o prato e facilita o consumo, incentivando a pessoa a comer a salada diariamente", conta. Todas essas alternativas realçam o sabor dos ingredientes sem ameaçar a qualidade nutricional do prato, como acontece com a maioria dos molhos prontos - ricos em sódio, que aumenta a retenção de líquidos, e gorduras.
Prepare de outro jeito 
salada - foto Getty Images
Alguns legumes apetecem mais quando cozidos ou refogados. Pense nisso antes de decidir o que vai ser servido cru na salada. "Mas não vale adicionar manteiga ou óleo demais no preparo", afirma a nutricionista Paula Castilho.
Ralado ou picado 
salada - foto Getty Images
Tem quem se incomode até com a aparência dos alimentos na hora de recusar um prato de salada. Folhas grandes demais, legumes duros e difíceis de mastigar também servem como desculpa para pular o mix de vegetais. "Alimentos ralados ou picados têm a presença e o sabor disfarçado em meio aos outros ingredientes, isso pode servir como um incentivo ao consumo", sugere a nutricionista Paula Castilho.
Evite sabores fortes 
comendo - Foto Getty Images
Para quem já não gosta de salada, o gosto forte do pimentão, da berinjela ou da rúcula, por exemplo, pode gerar traumas que amedrontem ainda mais o paladar. "Tomate, alface, vagem, cenoura e palmito são alimentos facilmente ingeridos e mais aceitos", afirma a nutricionista Roseli Rossi.
Família e amigos devem ajudar 
família - foto Getty Images
Se todos que estão à mesa comem salada, fica mais fácil sentir vontade provar o prato. Comente com os amigos e com a família sua disposição em incluir mais legumes e verduras no prato. Aproveite para pedir companhia e dicas de consumo nesta fase de adaptação.
Insista na sua escolha 
comendo - Foto Getty Images
Você pode rejeitar um legume logo de cara, mas não desista. Muitas vezes, o paladar precisa de mais oportunidades para se acostumar com sabores diferentes. "O ideal é tentar mais de uma vez até ter certeza de que você realmente não tolera algum alimento. experimente variações no preparo e combinações novas antes de recusar, definitivamente, algum sabor", afirma a nutricionista Paula Castilho."

Fonte: Minha vida

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Alimentação saudável fora de casa...

Oi gente!
Como vão indo?
Eu vou aos trancos e barrancos.. tudo desorganizado, um horror!!
Mas faz parte da vida corrida com provas, exames, trabalhos, casa, marido, filho, procurando estágio ou emprego... fazer o que, uma hora tudo se ajeita!!

Então, com essa correria, tenho comido muito fora de casa. Cheguei a conclusão que se você não tem dinheiro vai comer mal, tudo que é barato é super calórico. Agora se tem grana, ai vc se alimenta corretamente.
Tenho carregado comigo entre 5 a 10 reais para passar o dia, tem que saber o que comer.. eu só consigo comer porcarias, que são uma delícia, mas engordam.
Uma baguete custa em média 5 a 6 reais, ai compra um suco, já era os R$ 10,00 que levei para passar o dia, quando chego em casa é pelas tantas da noite, morrendo de fome, já era a RA da semana...

Espero arrumar um estágio ou emprego logo, ai tudo vai se normalizar!!!
Agora vai uma matéria bem legal sobre comer fora de casa.
Bjos

Tenha uma alimentação saudável fora de casa

Tenha uma alimentação saudável fora de casa
Atualmente com a correria do dia a dia, não se tem tempo para praticar atividade física, comer de forma saudável, desfrutar momentos de lazer, enfim, tudo isso fica em segundo plano, mas é importante se conscientizar que desta maneira, a saúde também estará ficando em segundo plano, e sem ela você não terá condições de trabalhar.


Padaria, restaurante por quilo, à la carte, fast food, estas e outras opções são o que as pessoas procuram para se alimentar. Comer rápido, minutos contados, o que fazer nesta situação, qual a melhor escolha?

Café da manhã
Se você tiver oportunidade de realizar esta refeição em casa, não pense duas vezes. Assim você pode optar por alimentos mais saudáveis e conseqüentemente terá uma refeição equilibrada. Não esqueça que esta refeição é importantíssima, justamente por ser a primeira, ela vai fornecer a energia que você precisa para realizar suas atividades diárias.
Caso você não tenha mesmo tempo para fazer o café da manhã em casa, você pode levar de casa alguns alimentos para fazer esta refeição em seu trabalho. Procure comer um alimento de cada grupo alimentar. Exemplo: pão ou algum outro tipo de cereal, leite, queijo, fruta ou suco de fruta. Se você optar pela padaria, muito cuidado com o que você for comer. Dê preferência por um suco de fruta natural ou um copo de leite com café, ao invés de sucos industrializados, refrigerantes, etc. Peça um pão na chapa, ao invés de pão com mortadela, salame, queijos amarelos, ou outro tipo de frio e embutido que fornecem muitas calorias.

Lanche da manhã 
Talvez este seja o maior problema para quem trabalha fora, as refeições intermediárias. Pular estas refeições pode fazer você extrapolar na próxima refeição, já que você ficou horas sem comer. É preciso fazer um esforço e ter esta refeição como um hábito, assim como é com o café da manhã, o almoço e jantar.
Nesta refeição, opte por alimentos práticos, fáceis de comer e de ter em seu trabalho. Se no local de trabalho houver uma geladeira, leve iogurtes, leite desnatado, extrato de soja, suco de fruta, frutas, etc. Caso não tenha geladeira, leve em sua bolsa uma barrinha de cereal, biscoitos de água e sal, cream cracker, uma fruta menos perecível como banana e maçã, etc. Faça o possível para realizar esta refeição, pois dessa maneira você terá uma alimentação fracionada, que contribui para eliminação ou manutenção de peso.

Almoço 
Se você almoça na empresa onde trabalha, você não deve ter muita opção, neste caso, consuma o carboidrato (arroz, macarrão, batata, mandioca), a proteína (frango, carne, peixe), grãos como feijão, lentilha, soja, grão de bico, verduras e legumes, não exagere na quantidade. De sobremesa opte pela fruta ou gelatina. Na rua, escolha um restaurante por quilo, ao invés de restaurante
à la carte ou fast food. No restaurante por quilo, self service, você pode escolher os alimentos que irão compor o seu prato. Não esqueça as regrinhas básicas: comer um alimento de cada grupo, evitar frituras e alimentos muito gordurosos. Com relação à bebida, escolha sempre um suco de fruta ou água.
Na sobremesa, de vez em quando, consuma um doce de sua preferência, mas nos demais dias, opte pela fruta ou gelatina. Se você prefere utilizar o tempo do seu almoço para malhar, ou seja, praticar alguma atividade física, muita atenção: no lanche da manhã, consuma algum alimento fonte de carboidrato e após a pratica de exercícios, almoce. Não deixe de comer para realizar atividade física, separe um tempinho para ter uma refeição adequada. Se você preferir, leve de casa um sanduíche pronto, com pão, verduras, legumes, frango desfiado ou peito de peru,
enfim um lanche saudável. Complete esta refeição com fruta ou suco de fruta.

Lanche da tarde 
Assim como o lanche da manhã, esta refeição é fundamental, por isso, não deixe de realiza-la. Muitas pessoas extrapolam no consumo de alimentos no período da noite. Chegam em casa morrendo de fome e não conseguem se controlar. Isso ocorre por ficarem muitas horas sem comer. Apenas almoçar e só fazer a próxima refeição tarde da noite é um erro. Não ultrapasse o limite máximo de três horas, de uma refeição para outra. No lanche da tarde consuma alimentos práticos, assim como no lanche da manhã.

Jantar 

Procure fazer o jantar até as 21:00 horas. Muitos vão perguntar, mas como vou realizar o jantar até essa hora, se vou direto do trabalho para os estudos ou realizo outra atividade e só chego em casa após as 22:00 horas?
Neste caso, sugiro as seguintes opções: faça o jantar no seu trabalho ou na rua antes de ir para os estudos. Talvez seja mais fácil optar por lanches. Prefira lanches que tenham verduras e legumes, queijo branco, frios como peito de peru, blanquet, presunto magro, etc. Evite maionese, catchup, mostarda, molhos industrializados e prefira, requeijão light, queijo cottage ou ricota.
Na lanchonete, prefira sempre salgados assados, ao invés de fritos ou de massas folheadas; sucos, chás e vitaminas ao invés de refrigerantes; fruta, salada de fruta e gelatina ao invés de doces muito elaborados, e assim por diante.

Ceia
Quando chegar em casa, caso ainda tenha fome, faça uma ceia. Opte por alimentos leves, como: 1 copo de leite, 1 xícara de chá com torrada, uma fruta, etc. Não esqueça de beber de 2 a 3 litros de água diariamente e arrume um tempinho para se exercitar. Com estas dicas de Cyber Diet você consegue ter uma alimentação saudável, mesmo trabalhando o dia inteiro, é só você querer.  

Por:
Roberta dos Santos Silva
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet, formada pela Universidade Católica de Santos CRN-3 14.113


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...