sexta-feira, 1 de junho de 2012

Compulsão Alimentar - A angústia por trás da fome


Por Alessandro Vianna, especial para o Yahoo! Brasil


Levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, mostra que 59,4% dos paulistanos estão acima do peso.

O sobrepeso atinge hoje 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos. Além disso, 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade e cerca de 20% da população entre 10 e 19 anos também sofrem com o mesmo problema.

Desde 1980, o número de obesos dobrou e atualmente já são 300 milhões no planeta, tornando esse um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade.
 

Por trás destes números, pode estar escondida uma Patologia chamada "Compulsão Alimentar".

A compulsão alimentar ou "comer compulsivo" é um transtorno caracterizado por episódios em que a pessoa ataca a comida e é capaz de devorar uma quantidade absurda de alimentos num curto espaço de tempo, muitas vezes sem se preocupar em apreciar o sabor : come tudo rapidamente, não mastiga direito e engole nacos respeitáveis de uma só vez.

Na realidade, por trás deste comportamento, existe um problema emocional. Nos quadros de depressão, por exemplo, pode haver um aumento de apetite; principalmente por doces, massas e frituras, que são ótimos estimulantes de serotonia e dopamina – que minimizam os sintomas de depressão.Assim, a pessoa cria uma dependência química com a comida, uma vez que os alimentos equilibram os níveis bioquímicos do cérebro. Então, sob tensão psicológica, a comida é uma boa muleta para se acalmar.

Traduzindo para uma linguagem simples, a pessoa sente um "vazio interior" promovido por angústias e tristezas. Quando ela se alimenta, a sensação de prazer faz com que esses sentimentos negativos diminuam. Porém, em pouco tempo (como o problema não era a falta de comida), a sensação de vazio emocional reaparece, requerendo uma nova ingestão de alimentos.
Se você perceber um apetite exagerado, vontade incontrolável de comer quando está triste ou frustrado, se comer exageradamente e rápido demais, com pouca mastigação, sentindo arrependimento e tristeza após esses impulsos arrebatadores, falta de preocupação com o aumento de peso, constrangimento social e o prazer imensurável ao comer como uma "criança num parque de diversões", cuidado: está na hora de buscar ajuda.

Sem um atendimento adequado, você vai continuar com as suas angústias e se tornará mais uma vítima da obesidade e de todos os problemas que ela causa.

* Alessandro Vianna é psicólogo clínico e sente um enorme prazer em estudar e entender o comportamento humano.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Jovem britânica de 400 kg começa dieta a base de frutas após ser internada


A jovem britânica de 400 kg, Georgia Davis, 19, começou uma nova dieta após ser internada para ser tratada da obesidade. Georgia foi levada ao hospital depois de passar 6 meses sem sair de casa. O resgate foi feito com a ajuda de 30 pessoas e durou cerca de 8 horas. De acordo com o jornal "Daily Mail" foi preciso derrubar duas paredes da casa para levá-la para a ambulância. Georgia se queixava de dores no peito e nas costas.



Depois de passar por diversos tipos de exame para encontrar o tratamento adequado, Georgia teve sua dieta reduzida pelo médicos a 2 mil calorias por dia. Os pais a alimentam apenas com frutas. Devido ao peso, a jovem sofre de insuficiência renal, diabetes e problemas na coluna, nas juntas e na pele, informa o jornal "The Sun".

Georgia já foi considerada a adolescente mais pesada do Reino Unido, em 2008 quando tinha 15 anos e 209 kg. Na época, médicos aconselharam que a jovem perdesse peso, pois poderia correr risco de vida. 

Ela foi para um spa nos Estados Unidos, no qual perdeu quase metade do peso, mas ao retornar para casa voltou com os antigos hábitos alimentares e não praticava nenhum exercício. A adolescente chegou a se matricular em uma academia em Aberdare, onde mora com a mãe Lesley, 57, e o padrasto Arthur, 74, mas deixou de ir as aulas pois não conseguia percorer os 3 km de distância entre sua casa e o local.

No Reino Unido, o Índice de Massa Coporal (IMC) considerado de uma pessoa obesa é 30 e Georgia, medindo 1,67 m, tem o índice de 142,3.

Fonte: yahoo notícias

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...